HOME > Opinião > Os perigos escondidos nos fast foods
Os perigos escondidos nos fast foods

A falta de tempo e o excesso de compromissos no dia a dia fazem com que muitas pessoas abram mão de uma alimentação saudável e se rendam à praticidade das refeições industrializadas ou aos fast foods.

Porém, o que pouca gente sabe é que, por ser rico em gorduras saturadas e hidratos de carbono, o fast food altera o metabolismo, podendo resultar no aparecimento de doenças crônicas, além de causar obesidade. O pior é que ainda há quem não se importe muito com a presença dessas substâncias nos alimentos consumidos.

Essas refeições de preparo instantâneo também apresentam conservantes e aditivos químicos que podem fazer mal à saúde, como o glutamato monossódio, que é bastante utilizado em restaurantes, comidas pré-preparadas, enlatadas e processadas. É importante dizer que o excesso dessa substância no organismo pode causar retenção de líquido, enxaqueca e úlceras de estômago, além de levar à obesidade. Além disso, esse componente pode ser responsável por alterações no sistema nervoso central, hiperatividade, déficit de atenção, danos oculares e fadiga.

Consumir fast food regularmente não interfere apenas nos quilinhos a mais. Esse tipo de refeição pode causar também danos ao fígado. As batatas fritas, por exemplo, são grandes vilãs devido aos ingredientes adicionados, assim como o frango frito e os anéis de cebola fritos, que são apontados como ‘perigosos’, pois, além de muito calóricos, possuem muita gordura e poucos nutrientes. Esses fatores aumentam as taxas de obesidade, diabetes, hipertensão, colesterol e doenças cardiovasculares, especialmente em crianças e jovens.

A questão, no entanto, não é comer ou não em fast food. O problema é a frequência com que se recorre aos lanches, pizzas, batatas fritas e hambúrgueres. Esses alimentos até conseguem satisfazer as necessidades diárias de energia, proteínas e lipídios. Porém, deixam a desejar quando o assunto se refere aos nutrientes.

O que mais tem no fast food

Para esclarecer algumas dúvidas, abaixo seguem informações importantes sobre as substâncias presentes nesses alimentos e o mal que podem fazer ao organismo:

Gordura Saturada

Os pratos compostos de frituras, com maionese e molhos, têm excesso de gordura saturada. E isso pode aumentar a taxa de colesterol sanguíneo, provocando câncer de cólon, entupimento das artérias, enfarte e derrame cerebral.

É preciso tomar cuidado com os alimentos que são ricos em gordura saturada, principalmente, quem já está acima do peso. É importante reavaliar a frequência com que estão consumindo essas refeições para não colocar em risco a saúde.

Sal

Como se já não bastasse o sal presente nesses alimentos, crianças e adultos têm o costume de adicionar mostarda, ketchup e outros tipos de molhos. Esse simples hábito pode desencadear a hipertensão arterial, sendo um dos fatores de risco para os cardiopatas.

Açúcar

Geralmente, o refrigerante é a bebida escolhida para acompanhar esse tipo de alimentação. E ele só faz engordar, além de provocar cáries.

O que menos tem no fast food

Vitaminas

Essas substâncias têm a função de promover e manter o bom equilíbrio vital. Como o corpo humano não é capaz de sintetizá-las, as vitaminas precisam  ser ingeridas diariamente. O funcionamento do organismo pode ser comprometido caso a pessoa tenha o hábito de apenas consumir fast food.

Sais Minerais

São micronutrientes que contribuem para conservar e renovar os tecidos do corpo humano, excitar as células nervosas e desencadear um bom número de reações químicas no organismo. Por isso, é preciso ficar atento à presença de algumas doenças, tais como anemia e raquitismo, que podem surgir devido à falta de sais minerais.

Fibras

São importantes para o bom funcionamento do intestino e ajudam a reduzir o nível de colesterol no sangue. Normalmente, os pratos instantâneos são pobres em fibras, pois utilizam poucos vegetais folhosos, frutas com casca e cereais integrais.

Consuma com moderação

Comer em fast food não é proibido. No entanto, é necessário que haja bom senso ao frequentar esses restaurantes. É preciso manter uma alimentação balanceada e praticar atividade física para manter o corpo saudável.

Se as idas acontecem esporadicamente, não há problema. Mas é importante manter uma alimentação equilibrada, diversificada e rica em alimentos frescos. E isso vale para crianças, jovens e adultos.

* Dra. Suzete Motta (CRM-SP 93004) é especialista em medicina ortomolecular e esportiva

Deixe o seu comentário!

Tagsalimentação, atividade física, fast foods, nutrição, obesidade,

Copyright © 2012-2015 NBCom Comunicação. Todos os direitos reservados.

Realização