HOME > Esgrima > História no Mundo
História no Mundo

Como esporte de competição desde 1874, A esgrima é um dos quatro esportes disputados em todas as edições dos Jogos Olímpicos da Era Moderna.

Nos início foram disputados apenas o florete e o sabre para homens. Mas já em Paris-1900, a espada, que juntamente com outros objetos semelhantes fazem parte da vida do homem desde a pré-história, se junta aos outros dois. Nestes Jogos, a França ganhou 15 medalhas.

Em Saint Louis-1904, os EUA ficaram com grande parte das medalhas, já que a maioria da nações européias desistiu de comparecer aos Jogos. Nos Jogos de Antuérpia-1920, os europeus iniciam seu domínio. Os irmãos italianos Aldo e Nedo Nadi -este um dos maiores esgrimistas da história -conquistam seis medalhas, sendo cinco de ouro.

Em Paris-1924, as mulheres disputam o florete. Já nos jogos de Amsterdã-1928, a América do Sul consegue a única medalha com a Argentina, que ganha o bronze por equipes no florete. Em Los Angeles-1932, a Itália conquista oito das 18 medalhas em disputa. Quatro anos depois, em Berlim-1936, os italianos fizeram ainda melhor: nove medalhas.

Em Roma-1960, mais uma novidade em relação às mulheres: agora elas também disputam o florete por equipes, e a União Soviética fica com o ouro. O húngaro Aladar Gerevich ganha sua sétima e última medalha de ouro, na disputa do sabre por equipes. Ele havia vencido sua primeira prova em Los Angeles-1932.

Com a Hungria se mantendo entre os melhores, Itália e França -mesmo conquistando medalhas- perdem de vez a supremacia da esgrima masculina para a União Soviética nos Jogos da Cidade do México-1968.

A União Soviética repete o desempenho das Olimpíadas anteriores nos Jogos de Montreal-1976. A soviética Yelena Dmitryevna Novikova ganha a quarta medalha de ouro. Na Olimpíada de Los Angeles-1984, Itália e França retornam ao topo conquistando sete medalhas cada uma. Quatro anos depois, em Seul-1988, voltam a ser derrubadas pela União Soviética e pela Alemanha Ocidental.

Nos jogos de Barcelona-1992, o cubano Guillermo Betencourt, técnico do brasileiro Marco Martins, é vice-campeão olímpico no florete por equipes, perdendo o ouro para a Alemanha. Em Atlanta-1996, mais uma conquista feminina. Agora, elas também disputam a espada, tanto individual como por equipes. A francesa Laura Flessel é o destaque com dois ouros.

A primeira participação brasileira em Jogos Olímpicos foi em Berlim-1936. Seis atletas representaram o país: Ferdinando Alessandri, Moacyr Durnham, Ricardo Vagnotti, Ênio de Oliveira, Henrique de Aguiar Vallim e Hilda Von Puttkammer. O melhor resultado foi o de Vallim, que ficou em 10º lugar na espada.

Em 1992 na Olimpíada de Barcelona aconteceu a ultima participção brasileira na esgrima com Roberto Lazzarini, acompanhado por Luciano Finardi e Francisco Papaiano – todos competindo na espada -, volta a disputar uma Olimpíada em 1992 e consegue o 20º lugar na espada individual. Ricardo Menalda, o outro brasileiro em Barcelona, ficou em 32º lugar no sabre.

 

Copyright © 2012-2015 NBCom Comunicação. Todos os direitos reservados.

Realização