HOME > Basquete > Ídolos Nacionais
Magic Paula

Segunda filha de uma família de quatro meninas, Maria Paula Gonçalves Silva nasceu no dia 11 de março de 1962, em Osvaldo Cruz, interior de São Paulo.

Apaixonada por basquete desde os sete anos, Paula ganhou o seu primeiro troféu em um torneio de lance livre quando tinha apenas 10 anos, idade com a qual foi convidada pelo treinador do Clube das Bandeiras a ingressar no time juvenil. Apesar da idade, virou titular logo no primeiro jogo.

Aos 12 anos, ela mudou-se para Assis, para jogar pelo Assis Tênis Clube. Com a extinção do mesmo time, Paula recebeu convite de vários clubes. Porém, optou por morar em Jundiaí, onde poderia jogar e estudar pelo Colégio Divino Salvador.

Três meses depois, aos 14 anos, tornou-se a mais nova atleta a ser convocada pela Seleção Brasileira adulta, que defendeu por 22 anos. Aos 18 anos, recebeu proposta da UNIMEP e mudou-se para Piracicaba.

Em 1983, ganhou, do jornalista esportivo Juarez Araújo, o apelido de Magic Paula, em alusão ao grande jogador americano Magic Johnson. Nesse mesmo ano, Paula conquistou um dos títulos mais expressivos de sua carreira: a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Caracas (Venezuela).

Aos 27 anos, formou-se em Educação Física e aceitou, pela primeira vez, um convite de uma equipe internacional, transferindo-se para a Espanha, para jogar pelo Tintoretto de Madrid. Mesmo tendo ficado seis meses parada, em virtude de uma contusão no joelho, Paula conseguiu voltar a tempo de conquistar o vice-campeonato espanhol, em 1989.

De volta ao Brasil, em 1990, a atleta passou a defender o BCN de Piracicaba. No ano seguinte, Paula participou da campanha histórica que levou o Brasil a conquistar pela primeira vez na história a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Cuba, vencendo, na final, as donas da casa por 97 x 76. Ao lado de Hortência, Paula recebeu a medalha e muitos elogios de Fidel Castro, presidente cubano.

Em 1992, ela foi jogar na Ponte Preta, equipe que, um ano depois, contratou Hortência, para que as duas reeditassem o sucesso que obtiveram com a seleção brasileira. E deu certo: em 1993, as duas ajudaram o time de Campinas a levantar a taça de campeão do Mundial de Clubes.

Na Austrália, em 1994, Paula conquistou a maior vitória de sua carreira: junto com a Seleção Brasileira, ela trouxe o inédito título de campeã mundial de basquete. Na final, o Brasil venceu a China por 96 a 87. Após essa conquista, a atleta voltou a Piracicaba, para defender a CESP-UNIMEP.

Para abrilhantar ainda mais sua carreira, Paula precisava conquistar uma medalha olímpica. E foi o que aconteceu. Nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, nos Estados Unidos, a Seleção Brasileira se classificou para enfrentar as americanas na grande final. Mesmo com a derrota por 111 a 87, a armadora brasileira realizou mais um sonho e voltou para casa com a medalha de prata.

Uma das melhores jogadoras de basquete que o país já teve, Magic Paula se despediu das quadras em 2000, jogando pela BCN Osasco, após 28 anos de carreira e muitas conquistas.

Fonte: Site Oficial Magic Paula

Copyright © 2012-2015 NBCom Comunicação. Todos os direitos reservados.

Realização